quanto tempo é que se consegue não se aguentar mais?

via garfield minus garfield

a solução é sempre simplista e nada simples. ponderações aparte e coisas que tais. seremos assim tão masoquistas que andamos a adiar de dia para dia as coisas até que. nota mental futura: se tens vontade de chorar todos os dias, se tens ataques de ansiedade semana sim, semana sim, se te sentes um ser abjecto e acima de tudo, se te fechas em copas e não queres mais falar com ninguém, então não é se calhar. é mesmo. antes só que mal acompanhada. e nada de andares semanas a fio a adiar o inevitável. got it?

23 thoughts on “quanto tempo é que se consegue não se aguentar mais?

    • sophia says:

      em relação a isso posso dizer que estou sempre muito bem sozinha. depois bate-me a carência afectiva, escolho os tipos que parecem queridos e fofinhos e pronto. já sei que as coisas ficam condenadas à partida. não consigo lidar com isso. mas há sempre aquele momento em que se toma o balanço e afinal de contas é desistir de uma coisa. para muitos é coisa que demora o seu tempo. para mim, felizmente, o tempo anda a encurtar. qualquer dia mal pense ‘que grande traste’ ponho-me logo a andar sem olhar a quê nem porquê.

    • sophia says:

      literalmente mandar tudo à merda. works for me. nada de pensar ‘ohh mas se calhar’. nada de ses. nestas coisas temos que saber que quando a coisa morre o sanitário é fazer-lhe o enterro.

  1. Bruno says:

    Eu estou com um problema completamente diferente: como é que se manda à merda uma sonsa que gostei (gosto?) durante 8 anos? Estou afastado dela há mais de 1 ano mas sinto que ainda não lhe fiz o gesto merecido. Basta ela sorrir um bocadinho para eu ficar logo todo derretido…

    Odeio a minha conisse! Bah!

    P.S.: Adoro o teu blog! Já está nos bookmarks.

    • sophia says:

      🙂 ainda bem que gostas. do blogue. da sonsa é que pronto…ai e tal não havia mesmo mesmo necessidade.

      como? não tenho receita. normalmente para mim funciona o acumular até explodir. vou remoendo as coisinhas todas más. passo a só me concentrar nisso. mesmo que não queira só vejo o mau e o negativo. e depois mando tudo para o espaço. e quando digo que nunca mais volto a falar com alguém é assim que sucede. não falo, se puder não ver, não vejo. e numa primeira fase fico mesmo tão concentrada no negativo que mesmo que sorriam a mim só me apetece mandar à merda. e depois, o tempo cura tudo. e essa pessoa é remetida às memórias. ajuda arranjar outras memórias entretanto😛 ehhehe

  2. Bruno says:

    Ui!! Ao longo deste ultimo ano apliquei todas as técnicas imaginárias e possíveis. Até cheguei ao ponto de acreditar absolutamente que já não gostava dela. Estive meses sem a ver mas basta termos algum contacto que ela começa a “amolecer-me”, fala do nosso passado, fala de saudades, diz-me que sou maravihoso, que sou o menino dela e outras coisas do género… e quando baixo a guarda… zás!! Dá-me o golpe e eu fico na merda, lol! Não percebo aquela rapariga… 8 anos e afinal nunca a conheci!!😀
    Eu acho que a única solução é não ter qualquer contacto com ela até sentir que gosto de outra moça… é cortar o mal pela raíz!🙂

    Mas isto está complicado! Quando começo a ter interesse nalguma rapariga e ela em mim, começo logo a fazer comparações e afasto-me!! Não acho normal, sou mesmo cabeçudo! Preciso mesmo de uma lavagem cerebral, hehehe! SIGA!!!

    (Ó pxt! Para quando um novo post? Hmm?)🙂

    • sophia says:

      bruno bruno bruno. tens ar de ser bom rapaz e tudo. não te conheço de parte nenhuma mas que se pode dizer. you’re a sucker. big time.

      comparar é mais que normal. todos nós usamos de experiências passadas e é excelente que se aprenda algo com cada relação. de qualquer tipo. não aches isso mau e não penses que por comparares estás a colocar mais peso na no prato da balança da sonsa.

      e ela de sonsa meu caro têm muito pouco. nada como ter alguém ali sempre disponível prontinho a gostar de nós. no matter what. ou seja, ela leva-te sempre na certa e diz-te o que tu queres ouvir. se calhar já davas hipotése era a outra miúda qualquer de te dizer isso. só naquela. de não morrer estúpido.😛

      e pronto. isto é a minha versão fofa e amorosa. se quiseres a verdadeira que inclui insultos às tuas capacidades de discernimento manda email. really. só para não te insultar assim em público.

      • Bruno says:

        Eh pá! Gostei da tua resposta!😀

        Tens toda a razão. I’m a sucker. E não é só de insultos que a resolução do meu problema vai depender, também preciso de uma valente coça, daquelas de caixão à cova. Preciso de um dentinho partido à frente para quando olhar para o espelho me lembrar – usando o teu portuguesing – que: “my time is running out, deixa-te de merdas Bruno”.
        Se a tua oferta de insultos se estender a umas murraças neste focinho, avisa-me s.f.f.🙂

        Não, a sério. Preciso mesmo…

        Obrigado, foi bom ouvir a tua resposta.😉

        • sophia says:

          mas claramente que se estende. sou totalmente a favor de um valente par de estalos para acordar as pessoas. violência gratuita só porque sim e é giro. especialmente se for eu esse grande instrumento do karma instantâneo.

          ohhh the joy.

          anyway, espero que realmente tenhas tido uma iluminação quase transcendental porque isto de sofrer pelos outros está extremamente demodé.

          como digo pelos dias que correm: sofres, sofres bem, sofres em bom, sofres em grande, sofres tudo o que tens para sofrer. durante 24 horas. depois on with life.

          sendo assim estás um bocadinho a abusar nisso do sofrer, não?

  3. Bruno says:

    Sim, estou a abusar muito, estou! Mas, quer acredites, quer não, é a primeira vez que isto me acontece. E se te contasse tudo, não irias ter vontade de me dar porrada, acho que irias buscar uma caçadeira! Ou talvez não… mudei muito num ano, apesar de tudo! Yeah!!🙂

    Só sei que um dia vou acordar de manhã e pensar: “Olha, estou curado! Nice… vou trincar qualquer coisa que já estou com a larica.”

    Falando nisso…

    • sophia says:

      o que é preciso é estabelecer prioridades. os mais poéticos diram ‘love yourself before loving another’. eu digo, vai mas é comer que o teu mal é fome.

      • Bruno says:

        Yep… ser trocado por outro teve efeitos colaterais no meu espelho. lol. Mas já estou mais melhor bom, nesse aspecto.

        • sophia says:

          mesmo trocado ainda pendes para? wow. há pessoas como uma capacidade para gostar que me transcende. e que não é saudável. again, love yourself before loving another.

        • Bruno says:

          Vá, não foi bem assim… e não a quero desculpar. Sentiu-se atraída por um tipo lá do trabalho e por causa disso, acabou comigo. Meses depois confessou-me que se arrependeu. Já era tarde… Non-sense…

          Mas hoje estou porreiro, sabes porquê? Porque não me apetece falar disto e porque estou a cagar-me para ela. Isto sim é um dia bom!🙂

          Eh pá… que seca!! Vamos mudar de assunto!

          Está calorzinho, hã?! Os dias já são mais compridozinhos… À noitinha ainda está fresquinho.

  4. sophia says:

    pronto. passou-se. o calor fritou os miolos. e os comentários estão estranhos. raios. os tipos do wp andam sempre em aventuras.

    ah e tal não falas disso mas ainda não falaste de outra coisa. já resolvias isso.😛

  5. Bruno says:

    Já me estás a achincalhar! Achincalhamentos é que não! Se há coisa que eu não gosto é de ser achincalhado. Também não gosto de ser melindrado. E se me melindras muito volto a debitar comentários até isto tudo ficar fininho!

    Já está a ficar estranho… lol. Pronto, eu paro!🙂

    • sophia says:

      vá vá. pronto. nada disso. nem uma coisa nem outra.

      e só quero é que deixes um comentário a dizer que ‘ah ah! mandei-a à fava. foi lindo.’🙂

      • Bruno says:

        Ok, eu comprometo-me a vir aqui colocar um comentário desses quando isso acontecer (e vai acontecer)! Tens é de manter o blog interessante para eu continuar a vir cá mandar uns bitaites.

        Pronto, os comentários fininhos tiveram uma existência muito breve…

        • sophia says:

          isso do interessante é que não posso garantir. ele sempre foi interessante para mim (que coisa péssima de se dizer).

          que isto do mandar bitaites rassabiados para o ar também acaba (e nós sabemos bem que isso é que era interessante) e depois?

comentários aos molhos

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s