precedência do corte de relações

Em Lisboa, passei por um período muito rico em cortes de relações.* Cortar relações só custa à primeira e deve ser um pouco como matar, apesar das diferenças de grau – a comparação não é inusitada, pois é costume dizer-se “para mim, morreste”. O cenário mais interessante no corte de relações sucede quando a vontade de cortar é recíproca. Se esta é a situação desejada para uma posteridade tranquila, levanta um problema no momento em que se concretiza o corte. A situação ideal é um corte de relações recíproco e absolutamente simétrico. Porém, é formalmente muito difícil demonstrar que a iniciativa de cortar relações partiu em simultâneo de ambos os lados e que nenhum lado reage ao anúncio de corte do opositor.**

eremita da planície

*a localização é a mesma. corte de relações não no plural. e reencontrei novos trilhos para relações anteriores na mesma localização. pode-se dizer que ganhei. em quantidade e franca qualidade.

** e isto do reagir têm muito que se diga. muito. nada como comunicar decisões à muito adiadas para de um momento para o outro se descobrir sentimentos deslavados. mas isto é material para um post per si.

comentários aos molhos

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s